Rumores no mercado indicam que uma nova empresa de guarda externa, com faturamento superior a R$ 20 MM no ano passado e com atuação no eixo Rio/SP, teria sido comprada por uma empresa americana. Ao que parece esta aquisição seria por parte de uma nova entrante, ou seja, a empresa americana não atua no Brasil.

A “americanização” deste mercado preocupa, uma vez que a cultura brasileira é bem diferente, com forte exigência da apresentação da documentação física para atender fiscalizações e processos jurídicos. Como este serviço não é comum nos EUA existe a dúvida sobre a infraestrutura necessária para dar vazão a estas solicitações (i.e. mão de obra) e sobre o custo dos serviços.

Outro impacto diz respeito às cláusulas contratuais. Alguns grandes clientes já estão recebendo aditivos com isenções de responsabilidades conforme o conteúdo das caixas. (tipo de documento).